Leia a bula: Kpop e Animes

A premissa do blog é fazer uma espécie de bula com avisos dos efeitos colaterais de se entrar em um desses fandons, através de um relato de como experimentei cada uma das etapas.

Assim como medicamentos, na dosagem correta, gostar de animes ou de kpop podem lhe trazer alguns benefícios, mas nem tudo são flores não é mesmo? E se desencadear um vício fora de seu controle?

“A pesquisadora identificou algumas substâncias responsáveis pelo Amor: dopamina, feniletilamina e ocitocina. Estes produtos químicos são todos relativamente comuns no corpo humano, mas são encontrados juntos apenas durante as fases iniciais do flerte.”

:copyright: 2008 Bibliomed

Pode soar meio estúpido comparar com amor… porém em ambas as ocasiões meu envolvimento com kpop e animes foi parecido com amor a primeira vista, mas é claro que isso só ocorreu depois que me encantei com uma história ou grupo específico, que me fez entrar de cabeça nesse universo de surtar por asiáticos, sejam eles de carne e osso ou animações.

Você provavelmente já ouviu falar de outros animes ou grupos de kpop, mas algum dia, um em especial lhe fez se encantar e desde então um efeito dominó começou em seu coração, a paixão vai se alastrando dentro de você.

Meu primeiro contanto com kpop foi com 2NE1, porém EXO foi o que me fez entrar para um fandom , assistir entrevistas, esperar comeback e todas essas coisas triviais para qualquer stan de um grupo coreano.

No início pensei que eram todos gêmeos univitelinos, mas em menos de três meses já tinha aprendido o nome de cada um deles, e se bobear reconheceria de costas com máscara e óculos de sol em foto de aeroporto.

Me encantei com o quão completas eram as apresentações, vocais, danças, roupas, tudo inovador e bem diferente de tudo que já tinha visto, mas não teria conhecido um sem o outro, graças a minha fase otaku, conheci o kpop.

Surgiu na minha aba de indicações do YouTube, a sugestão de uma opening de um anime que pasme, nunca ouvi falar até porque eu tinha medo de cultura japonesa ( minha sala de aula tinha uns quatro otakus MUITO ESQUISITOS, confesso que eu tinha medo de ficar como eles), o anime era Fullmetal Alchemist, a abertura “Again” da cantora Yui, grudou na minha cabeça e de tanto assistir as imagens passando no vídeo fiquei curiosa e não me arrependo de ter dado uma chance, gostar de animes mudou minha vida em vários aspectos assim como gostar de kpop trouxe mudanças de grande impacto na forma como vejo o mundo ao meu redor.

Claro que nem sempre o primeiro peixe pescado é o que mais nos agrada, quando vamos explorando outras opções podemos nos deparar com alguém que nos causa mais empatia.

IU é uma cantora que sempre me surpreende, gosto da evolução dela como artista, admiro os temas e conflitos que ela aborda em suas composições.

Não sou de me apegar à personagens de anime, mas uma em especial me cativou, Misato aparenta ser forte, independente e segura de si, Neon Genesis of Evangelion (sim o do parabains) é um anime que mostra constantemente um lado frágil de seus personagens, a parte psicológica de cada um é muito bem trabalhada, não darei muitos detalhes para evitar spoilers mas no todo, me surpreendi com o quão humana ela é.

De qualquer forma não estranhe se por acaso você entrar por uma estrada e terminar tomando outro rumo no meio da sua jornada de fã, pois com dizia Heráclito:

“Nenhum homem pode banhar-se duas vezes no mesmo rio…pois na segunda vez o rio já não é o mesmo, nem tão pouco o homem!”

É normal você mudar suas preferências e gostos, tudo no seu devido tempo, acho que se eu tivesse assistido NGE quando mais nova, provavelmente não me identificaria tanto com a Misato.

De início, não pensei que tudo era tão complexo e profundo assim, depois de reparar que estava diante de um oceano cheio de icebergs, cabia à mim escolher quais deles eu tinha interesse de conhecer de forma mais detalhada.

Tanto animes como kpop me fizeram ler diversos livros para compreender melhor alguma música ou animação.

Poderia citar inúmeros exemplos para ambos os casos, como as referências a “Divina comédia” de Dante em Fullmetal Alchemist, “A tempestade” e “Hamlet” em Zetsuen no Tempest, as inúmeras referências a literatura e fatos históricos em Kuroshitsuji; no kpop temos BTS com “Demian” de Hermann Hesse, NCT U com “1984” de George Orwell, IU com “Meu pé de laranja lima” de José Mauro de Vasconcelos.

Sou bibliófila, todos os meus amigos já perceberam que amo livros, é ótimo fazer essa ponte entre as coisas que gosto, adoro catar essas referências, entender melhor os conceitos e desvendar detalhes que na primeira instância pareciam sem nexo mas em seguida tornam de suma importância para obra.

Mas não só a parte de leitura foi incentivada, animes e kpop me fizeram gostar de doramas e mangás, assim como passei a ter muito jrock na minha playlist do celular.

É impressionante como uma coisa leva a outra, e se minha mente não tivesse sido aberta pelo choque cultural que tive ao conhecer mais sobre o Japão pelos animes, talvez não teria aceitado kpop de facilmente.

Vários MVs de Kpop parecem um anime live action, recomendo :

WJSN – “HAPPY”;

Orange Caramel – “Lipstick”;

AOA CREAM – “BABY (I’m jelly BABY”);

WINNER – “LOVE ME LOVE ME”.

Gosto muito de uma compositora da S.M. Entertainment, Kenzie é responsável por diversos hits da empresa, como: f (x) – “La chA Ta”SNSD – “Oh!” e BoA – “My Name”. Recentemente li uma entrevista onde ela disse que um dos objetivos da S.M. é ter idols que parecem ter saído de uma página de mangá.

:white_small_square: Leia a entrevista completa :white_small_square:

Vale lembrar que existem certas aberturas e encerramentos de animes com cantores de kpop, como : TVXQ – “We are” em One Piece, BoA – “Masayume Chasing” em Fairy Tail e Younha – “Hoki Boshi” em Bleach.

Inclusive um personagem em um spin-off de Naruto, faz a dança do “bumbum” do grupo KARA (a música de encerramento do anime é do mesmo grupo). Assista:

Mv original para quem ficou curioso:

Também gostaria de lembrar que quando a musica de abertura ou encerramento soa como kpop ela até recebe um bom feedback, um ótimo exemplo é “Trust me” encerramento de Durarara!!, que é bem cativante (cof cof grudenta) e vi vários comentários de pessoas que a acharam similar ao kpop (e por isso gostaram dela). Particularmente… eu não gostei ( :v ) prefiro a abertura rockzinha, acho o encerramento bem paia, essa minha opinião antagônica combina bem com o nosso próximo tópico.

O tópico anterior mostra que ambas as artes se mesclam, mas por algum motivo alguns fãs insistem em brigar e ter preconceito com o gosto alheio.

Acho que quando você fecha uma porta para algo acaba perdendo as oportunidades e ensinamentos que poderiam sair de lá, se você não quer entrar nesse tal “recinto” apenas educadamente recuse a proposta e vá para sua tribo, ninguém é obrigado a gostar de algo.

Para uma boa convivência é necessário ter respeito ao próximo, eu poderia escrever algo gigantesco sobre o assunto mas existe uma musica da Disney que resume tudo que eu poderia dizer.

 

A Pequena Sereia a Série – Vídeo da Música: Em Harmonia (Episódio O Diabo do Mar – Em Harmonia)

Esse tema sobre ter preconceito com algo que é diferente de o que estamos acostumados, é muito recorrente, mas alguns coleguinhas não captaram a mensagem que é propagada em inúmeras obras como nos animes Magi e Fullmetal Alchemist, no kpop podemos tomar Amber como exemplo de alguém que foge do padrão mas não se deixar abalar pelas críticas, até mesmo artistas odiados como Jay Park, Hyuna e Sulli que sofrem hate por inúmeros motivos mas continuam seguindo em suas carreiras mesmo com os ataques.

Para ser honesta esse é um assunto que já estou cansada de debater, se você almeja ser um ser humano decente, só siga os conselhos da Ariel.

Como qualquer outra forma de expressão artística, tanto a musica coreana e as animações japonesa, já me fizeram pensar sobre a minha existência, o meu propósito de vida, como eu me porto diante a sociedade e em relação à diversas situações.

Nem todas as canções de kpop são aquele grude farofa do PSY, existem muitos gêneros no meio, basta ter paciência de explorar com carinho alguns cantores de R&B que você não vai ter dificuldade de encontrar belíssimas composições.

O mesmo vale para as animações japoneses, existem inúmeros gêneros, e cabe a você se dedicar em encontrar o que mais lhe agrada.

Admito que ambos me ajudaram de diferentes formas, diria que vários filmes do Studio Ghibli me fizeram repensar escolhas de minha vida e até me ajudaram a sair de momentos de tristeza (ou entrar rs, túmulo dos vagalumes é muito triste minha gente sofri de mais), no kpop eu tive uma surpresa agradável em relação ao corpo ideal dos idols, muitas pessoas criticam o padrão de beleza imposto por eles, mas … e quando você está dentro do padrão?

Passei um bom tempo insatisfeita com meu corpo, até que com o kpop tudo mudou, ter representatividade me fez feliz, acho que ver alguém com o corpo igual ao meu tendo uma vida normal e ainda ser considerada “visual” me deixou empolgada em me arrumar, comprar roupas, perfumes e sair da minha vida de traça de biblioteca que chora lendo Voltaire.

Não que eu tenha ficado fútil graças ao kpop, pelo contrário, ele só fez balancear minha vida, trouxe uma leveza para o meu divertimento e inclusive vou para o próximo tópico pois ele também aborda mais um aspecto positivo em ser fã de kpop e animes.

Eu não tinha muito em comum com minha família, não gosto de series americanas ou filmes de ação, não conseguia passar muito tempo na sala assistindo aquele tipo de coisa.

Curiosamente minha mãe virou otaku e minha tia também, já assistimos vários animes juntas tomando chimarrão e comendo bolo.

Doramas também fazem parte da programação, até meu pai já arriscou assistir alguns, sinto que isso uniu minha família em um momento prazeroso.

Amizades também foram desenvolvidas tendo como base essa época otaku, passava horas fazendo maratona com meu melhor amigo(aquele para quem fiz a dedicatória nesse post) e conversando sobre os episódios, esses momentos de fato fortaleceram nossa amizade.

Com o kpop consegui conhecer algumas pessoas lindas, curiosamente não converso tanto sobre kpop no amino, mas tenho grande apreço e carinho por quem conheci nesse aplicativo e sou muito grata por cada pessoa que ilumina meu dia no pv, gosto de dizer ” oi oi raio de sol” quando me dizem bom dia, pode parecer da brega, mas no fundo eu realmente acho que eles me trazem paz e alegria.

É claro que devemos saber medir nosso nível de obsessão, dependo de o quanto isso afeta sua vida você pode terminar como eu… rs.

Veja bem, você tem uma prova amanhã e não sabe nada do conteúdo, o que você faz? Isso mesmo vai assistir um anime super velho que tem dois episódios dublados no YouTube. E na hora da prova? Ah quando seu professor perguntar “Dê um exemplo inválido de declaração de variável” você responde “uma andorinha só não traz verão”.

Queria que essa história fosse mentira mas é 100% verídica e aconteceu na quinta passada, não sei ponderar com meu vício e almejo mudar. É bom se policiar e observar se não está alimentando um monstro ao invés de um lazer.

Acho que já está bom para finalizar o post, essas foram algumas experiências que tive em ambos os fandons e espero que por meio da leitura deste blog você consiga refletir sobre a forma como você lida e gosta da cultura coreana e japonesa.

Ambos podem trazer benefícios como malefícios, cabe a você decidir como isso vai influenciar sua vida.

Abraços e até o próximo post.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s